Growing up or getting old?

“Life’s tragedy is that we get old too soon and wise too late” Benjamin Franklin

Vinho + licor de maracujá + espumante = insônia.
Passear por Porto Alegre debaixo de chuva procurando por uma churrascaria no centro da cidade com o auxilio apenas do Google Maps utilizando a sobrecarregada rede 3G da Tim foi uma tragédia. Os gaúchos parecem mais estressados do que eu esperava, nossa primeira interação social com os locais se resumiu a um “Bah, tu para no meio do caminho! Vai tomar no cu, tchê!”, enquanto tentávamos nos decidir, parados na calçada se charco era ou não carne de sol. Tento não tomar o todo pela parte, mas a primeira impressão está difícil de mudar. Não achamos a churrascaria e num Buffett nos esbaldamos.
A cidade é interessante, lembra um pouco BH, tem sua dinâmica própria, algumas ladeiras, um metrô ruim que nem o nosso mas que eles tem pelo menos o bom senso de chamar de trem, “porque só anda na superfície”.
Em Porto Alegre não deixe de comer salada de frutas com nata no Mercado Publico e visitar o Centro de Cultura Mário Quintana. A salada de frutas pequena custa seis reais e vale a pena enfrentar o cheiro de peixe do local porque a bendita nata da Cantina 45 parece um chantilly melhorado. O Centro de Cultura tem entrada gratuita e oferece uma gama enorme de atividades culturais; está em reforma, nossa passagem por ele foi fugaz, mas Tirei até foto com o passarinho do Mário Quintana!
Por hora exploramos tão somente a parte baixa da cidade e o centro. No meio do caminho paramos para beber um vinho e acabamos ficando por ali. Algumas taças mais tarde e tivemos que voltar para o hotel antes que alguém resolvesse correr nu pela cidade.
Agora estou com insônia, minha mente longe, concentrado em alguém que deve estar em Juiz de Fora uma hora dessas, espero que pensando em mim! Mente longe, pensando sobre o meu envelhecer…
Vou tentar dormir. Amanha devemos andar de pedalinho no rio/lago/lagoa aqui da cidade. Tenho que descobrir sobre a história do Guaiba. Gramado e Canela ficaram para Sábado, agora que a chuva parou deve ser menos perigoso subir a serra.
Por hora é isso.

Boa sexta-feira, mundo!

Velhas Árvores

Olha estas velhas árvores, mais belas
Do que as árvores novas, mais amigas:
Tanto mais belas quanto mais antigas,
Vencedoras da idade e das procelas…

O homem, a fera, e o inseto, à sombra delas
Vivem, livres de fomes e fadigas;
E em seus galhos abrigam-se as cantigas
E os amores das aves tagarelas.

Não choremos, amigo, a mocidade!
Envelheçamos rindo! envelheçamos
Como as árvores fortes envelhecem:

Na glória da alegria e da bondade,
Agasalhando os pássaros nos ramos,
Dando sombra e consolo aos que padecem!

Olavo Bilac, in “Poesias”

20120406-033133.jpg

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s