Just be a queer

AI, como as vezes me odeio por ser tão hipócrita. Todo ser humano o é em algum momento na vida e ontem me peguei no flagra. Vi um homem na rua usando um cavalo para puxar uma espécie de carroça bem rústica cheia de entulho, que parecia bem pesada para um animal que está visivelmente muito mal tratado. Fiquei com ódio do rapaz que se não bastasse estar obrigando o pobre animal a carregar aquele peso ainda o chicoteava sem dó. Pensei que se um dia eu tivesse algum tipo de poder ou voz solicitaria a proibição do uso de animais para aquele fim, solicitaria a extinção de qualquer tipo de transporte, de seres humanos ou carga, com tração animal. Mas aí que meu juízo me pregou uma peça. Eu me alimento de carne, ovos, leite, e os animais que me propiciam estes alimentos além de serem brutalmente mortos não tem uma vida muito boa, além de muito curta. Uma coisa é uma coisa, outra coisa ;e outra coisa, mas no frigir dos ovos todos estamos usando os animais em nosso benefício. Chato isso, penso seriamente em tentar para de comer carne novamente, sei que a cada tentativa se torna mais fácil para mim, hoje em dia tenho uma dieta muito mais variada e voltei a comer carne por puro comodismo.

Tive uma semana muito corrida, eu e Jac tivemos de terminar o vídeo para a festa da Izabelle, eu estava com tempo curto e sem nenhuma inspiração. No final deu certo, mas sinto que poderia ter ficado muito melhor. No trabalho eu quase surtei, muitos pacientes, minha amiga e enfermeira de férias, minha técnica em crise de meia idade, surtada. Achei que não fosse sobreviver, mas hoje é sexta a noite e eu estou aqui, inteirinho, pronto para um final de semana que será uma maratona de exercício de paciência: festa de aniversário da Izabelle e uma enxurrada de parentes vindo para minha casa. Se existe alguém aí em cima, por favor, ajuda eu!?

O filho da princesa Diana se casou hoje com uma plebeia, foi o evento do ano segundo os jornais, o dia todo falou-se sobre o evento. Eu não assisti, estava trabalhando na hora, atendendo um milhão de pacientes com um bilhão de demandas. Não fazia questão de ter assistido, ultimamente me sinto tão a parte desse mundo e seus protocolos, não dei muita bola, espero que eles sejam felizes e não sei porque o casamento deles é mais importante que o de uma Maria e um Virgulino no interior da Paraíba. Acho interessante a fascinação de algumas pessoas com a realeza, com o clero, essas coisas tão medievais. Acho que é o que restou dos contos de fadas, das histórias de antigamente. Que medo, uma igreja que já fez tanto mal para as pessoas e a realeza com um passado cheio de tiranos e déspotas, é o que nos resta de encanto de épocas remotas. Estou meio azedo hoje.

Acabei de assistir a dois episódios de Glee, muito me diverti e dublei um pouco. O último teve como tema a aceitação de nossas imperfeiçoes, as cobranças interna e externa pela perfeição, os modelos, o que esperamos de nós e o que a sociedade aceita. Muito interessante, especialmente o clímax, com os personagens cantando Born this way trajando camisetas que traziam em letras garrafais no peito seus defeitos/caracteres especiais.

Let’s call it a day. Agora vou comer meu leite com pão e depois vou escovar os dentes. Lá lá lá laringe! Tenham todos um excelente final de semana!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s