Aracruz – Part One

Aracruz, 22 de abril de 2011

Esses dias que estou passando longe de Belo Horizonte e do mundo estão sendo de uma produtividade ímpar. Aqui não tem TV, pelo menos eu não tenho, no quarto do meu irmão sim; as duas operadoras que eu uso, Claro e TIM, não funcionam, a única rede WIFI que achei é privada, senha criptografada e tudo mais. A lan house mais próxima fica a cerca de cinco quilômetros. O que me resta? O infinito. O lugar é agradável, parece um balneário, um complexo de hotéis, parque aquático e para chegar a praia é só cruzar a rua. O sol está forte, mas não a ponto de incomodar, o que é perfeito, pois podemos ficar o dia todo praticando atividades externas.

Ontem ficamos no parque aquático, Izabelle se divertiu como nunca e a noite caiu no sono mais rápido do que qualquer um de nós, o que não é comum de acontecer. Eu também desmaiei, terminei de ler um livro e apaguei, tive sonhos interessantíssimos envolvendo a história, alienígenas, super-poderes e amores eternos, e a realidade, minha família, a finidade do amor, meu trabalho.

Acordei cedo, animado e disposto a ter mais um dia gostoso com minha família. Hoje foi o primeiro dia da Izzy na praia, ela nunca tinha visto o mar. Foi lindo ver sua reação, a pequena ficou literalmente sem fôlego, os olhos brilharam e ela quase pulou do colo do pai e correu em direção às ondas. Ficou horas brincando na água, os adultos todos já haviam se cansado e ela querendo mais. Não ligou muito pra areia, acho que ela me puxou. A praia é muito calma, quase deserta, limpa, sem nenhum quiosque por perto, só nós e o mar.

A tarde almoçamos e eu fui sozinho tomar sol na beira da piscina, os outros foram pros quartos dormir. Fiquei meio deprimido, pensando no passado, em pessoas que eu gostaria que estivessem ali comigo. Dormi debaixo de um guarda-sol, estirado em uma espreguiçadeira. Sonhei com meu ex, o que não é um bom sinal, ele estava comigo aqui, nós brincando no toboágua. Felizmente acordei com minha cunhada chegando com a Izzy, espantei logo esses pensamento e fui nadar com elas. Ficamos na água até quase o sol se pôr, Izabelle tem pilhas alcalinas, ela morria de frio mas chorava quando a tirávamos da água. Foi uma luta, tivemos de atraí-la com guloseimas para fora da piscina. Acho que ela puxou a Vida e o Apolo.

Agora estamos nos preparando para um show de pop-rock com uma banda local, aqui mesmo no parque aquático. Eu me sinto bem, um vazio dentro de mim, mas que não me incomoda. Penso sempre no que ouvi de meu ex em nossa ultima e derradeira conversa, que ele não estava feliz comigo, isso me destrói, mas me dá forças para tentar continuar. É tão triste ouvir isso, não o culpo, de forma alguma, alguns amores não são mesmo feitos para durar. De repente existam mesmo mais do que uma alma gêmea, deve haver um back-up em algum canto desse mundo, e sei que se houver algo do tipo não está aqui no Espírito Santo.

Não gosto de se politicamente incorreto, não sou preconceituoso, mas hoje tive uma crise de riso com uma cena na piscina. Ela é enorme, deve ter uns cinquenta metros de comprimento e uns trinta de largura. Em dois de seus cantos há escadas, muito bonitas, em forma de semi-círculos, amarelos, contrastando com o fundo azul. Eu queria entrar, mas a escada estava tomada por uma enorme família de enormes pessoas, umas quinze, entre mulheres, crianças, homens e idosos, todos obesos, com as mãos apoiadas nos degraus da piscina, boiando com os braços esticados. Me lembrou uma cena de documentário do Discovery Channel, uma família de leões-marinhos atracada na praia. E todos muito mal educados, brigando, uma dona gorda xingando a outras, as crianças gritando. Uma cena não muito bonita. Mas curiosa. Se eles tivessem enormes presas como os leões-marinhos acho que a seleção natural teria agido por ali e pelo menos três gordinhos teriam sido eliminados. Não que eu torcesse por isso.

As pessoas aqui se dividem nos extremos, existem os super-sarados, os super-largados e os super-obesos. Não há muito meio termo, e a população que frequenta o clube é diferente da que se encontra agora na praia: aqui, no clube,  os adultos com seus filhos pequenos e os idosos, muitas velhinhas inclusive de andador; e, na praia, os adultos mais jovens e adolescentes. Parece que as pessoas não se cuidam por se cuidarem, ou  elas não se preocupam com atividade física ou dieta ou se preocupam de maneira obsessiva. Não sei em que grupo eu me encaixo e chego a conclusão de que em nenhum deles. Eu gosto de me cuidar, não gostaria de ter um barrigão e muito honestamente menos pelo fatos de que as gorduras viscerais me preocupam do que pelo fato de não ser esteticamente atraente. Eu nunca fui muito atraente, sempre fui magrelo, estranho, agora que estou na academia, fazendo Pilates e RPG sinto que meu corpo mudou muito, mas morro de medo de ficar grandão, todo musculoso, acho horrível e pouco atraente. Me sinto bem com meu corpo, gostaria de ter a coluna mais estável e sentir menos dor, mas do resto eu dou conta.

Acho que fiquei reparando e criticando as pessoas porque me irritei com minha mãe, que está pensando em fazer lipoescultura, mas sem mudar hábitos de vida, e com um grupo que passou por mim hoje, eu estava lendo perto da piscina e fui criticado: “Tanta coisa pra se fazer, tanta gente bonita aqui e o cara lendo!”. Povo oco. Eu estava me divertindo, adoro ler assim, debaixo de uma sombra perto da água. Povo irritante! Minha mãe vai engordar tudo de novo, e o mais perigoso não é a gordura que vemos, mas a que está lá dentro, entre os intestinos e o fígado, entre a aorta e as vértebras. Que saco.

……………..

O show de pop-rock com um banda local na verdade se reduzia a uma banda de um homem só, que não tocou nada de pop-rock em seu teclado, apenas a música do super-homem e da Mulher Maravilha e uns forrós misturados com axé e sertanejo. Preguiça. Voltei pro apartamento e vou assistir Donnie Darko – Versão do diretor. Amanhã vou pra Vitória e Vila Velha passear e tirar umas fotos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s