Monday, Monday, Monday. Yesterday was Sunday, Sunday, Sunday!

Uma grande amiga minha, a quem considero minha irmãzinha, me disse há alguns anos atrás que ela só escrevia quando estava triste, e olha que ela escrevia muito naquela época. Hoje em dia se ela escreve está guardando pra si própria, ou talvez eu tenha sido excluído do círculo de leitores prive, já há alguns meses eu não leio nada novo dela. Já ouvi de outros poetas que eles só escrevem quando estão tristes, a própria Alanis Morissette também publicou em mídias sociais que quando está triste se tranca no seu armário e compõe com mais facilidade. Eu não sou poeta e nem músico, quem me dera, adoro as duas formas de expressão, de arte, mas não me atrevo a querer dominar alguma delas. Mas concordo com eles, acho que o sentimento de tristeza nos priva de muita coisa, mas nos abre uma janela para o mundo da expressão de sentimentos de forma mais clara.

Criei o blog num momento em que eu estava triste, para me expressar aqui, para mim e para os outros. Escrevi muito, não só quando estava triste, mas principalmente quando eu estava alegre ou quando acontecia algo que me deixava mais feliz, ou mais esperançoso. Mas tenho que admitir, não há nada como um pouco de decepção amorosa, briga com amigos ou depressão por depressão para me estimular a escrever. Estou numa fase da minha vida em que o meu amor próprio está em alta, muito em alta, como nunca antes na história desse país. Não estou me achando o cara, mas me sinto capaz de ser um indivíduo único e especial, apesar dos meus defeitos e limitações. Muitos acontecimentos me trouxeram até aqui, e além desses acontecimentos alguns “não acontecimentos”, digamos o aborto de algumas felicidades também me fez crescer. Eu sempre busquei no outro minha realização, não só no ponto de vista de relacionamento amoroso, nos meus amigos, nos meus colegas de trabalho, nos meus pacientes, sempre espero que venha deles algo que vai me fazer feliz: um elogio, um cumprimento, o reconhecimento, um agrado, uma palavra amiga, cumplicidade. Claro que eu dependo dessas coisas, também, para ser feliz comigo mesmo, mas de que adianta tudo isso se eu dentro de mim não me sinto bem, se eu não me satisfaço por mim mesmo, se eu só regorjeio a partir do momento em que o outro me permite?

Nada é fácil depois que nos tornamos adultos. Nada. E não tem mesmo que ser, tudo o que é fácil demais nos deixa fracos e mal acostumados. E é gostoso quando apesar dos percalços, das interferências, consegue-se chegar a um lugar melhor, o retorno, a recompensa é melhor se é mais difícil. Assim como quando é proibido, clandestino. Eu nunca tive nada fácil na minha vida, ou porque a vida é assim ou porque eu não facilitei as coisas para mim. Eu sempre consegui ir mais longe do que eu esperava, nunca imaginei que um dia minha inteligência, por exemplo, fosse me levar a algum lugar, para mim ser inteligente era apenas um detalhe, nem a minha sensibilidade para com as coisas do mundo. Hoje vejo que o fato de eu ser inteligente e usar isso para o bem, o fato de ser sensível e administrar isso de forma adequada me trouxeram até aqui, que pode não ser o melhor ugar do mundo, mas é o lugar que eu construí aos poucos, com algumas goteiras, mas que está cheio de coisas boas penduradas nas paredes, grudadas em meu peito.

Ontem teve churrasco aqui em casa, aniversário de meu primo Gabriel que está hospedado aqui com sua família devido ao fato de sua mãe, minha tia, ter feito uma cirurgia em recuperação com ajuda da minha mãe. Vida Berenice achou um toco de carne na grama agora de manhã, antes que eu pudesse fazer algo ela engoliu o pedaço inteiro, como um avestruz. Claro que minutos depois ela vomitou tudo, e voltou a comer, isso eu não vi, mas minha mãe assistiu a cena estarrecida. Eca! Apolo bem que tentou comer o vômito, mas a Vida, apesar de pequena, se impõe, tipo, “esse vômito é meu e ninguém tasca”. Eca! Segunda-feira, Monday, Monday Monday.Yesterday was Sunday, Sunday. Today its Monday, Monday, Monday. We, we, we so excited! Rebeca Black, me perdoe, mas eu não resisti.Segunda-feira é dia de estudar, cuidar dos cachorros, RPG e academia. E apartir de hoje será o meu dia de não usar muito a internet. Sim, internet demais faz mal e pode cegar, como o excesso de vitamina A. Por isso está decreta. As quintas serão os dias de poema e as segundas dia quase sem internet.

Estava revendo umas fotos de viagens por uns cantos e me reencantei com São Francisco. Um charme de lugar, quem ainda não conhece não sabe o que está perdendo.

 

In the end, only kindness matters… I will get down on my knees, and I will pray… My hands are small, I know, but they’re not yours, they are my own and I am never broken

Biking in San Francisco, never call it Frisco.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s